sábado, 22 de outubro de 2011

O erro colossal da Europa


A Europa e os seus iluminados políticos cometeram um grande erro quando pensaram em formar a União Europeia, pois os vendedores de ilusões pensaram em tudo e imaginaram o mar de rosas que seria a Europa Unida, uma moeda única, e a tudo isso juntar a terrível e desastrosa globalização, mas não pensaram no que poderia acontecer no futuro, um pequeno deslize e seria o desastre total, como se não bastasse começaram a fazer tratados e a impor normas e leis a todos os países, como se tratasse de uma federação, ou seja, uma Europa com um governo central, o que não é, nem pode ser possível, porque a velha Europa sempre sofreu de grandes problemas, tais como, a grande diversidade de países com grandes desigualdades sociais, económicas, culturais, e de desenvolvimentos industrial e tecnológico muito desigual, os países poderosos avançaram depressa demais, enquanto os mais pobres continuaram parados à espera que os outros andassem para depois seguir atrás, mas devagar muito devagar e alguns até quase não saíram do sitio, e o que aconteceu agora é que, em jeito de comparação, é como se um comboio de alta velocidade descarrilasse, e a locomotiva a carvão que ia atrás acabou por chocar nele.

Mas então os que queriam e criaram a UE são loucos? Podem não ser loucos, mas tiveram a inteligência e também um pouco de loucura em tentarem criar um Império, que poderia ser um bom negocio para as grandes economias dos países ricos e as grandes empresas, que com a globalização, formaram os super grupos económicos com a intenção de juntar as riquezas colossais, diminuindo custos com mão-de-obra barata, aumentando os lucros e assim repartirem os dividendos pelos seus gerentes e accionistas, e entrando no jogo da especulação, para ver quem derruba quem, e claro a corrupção pelo meio a trabalhar em prol dos seus interesses, tirando o máximo proveito da ocasião de desviar alguns milhões para os paraísos fiscais e offshore. Enquanto isto, foram arrastando os países pequenos para o abismo, pondo travão e condições, nos seus já debilitados estados miserabilistas da economia e desenvolvimento, impedindo estes de produzir, pagando até para isso, para que se comprasse aos grandes, isto sim foi uma atitude de loucos, ou seja de interesses, e neste mundo de injustiças, os grandes mandam e os pequenos obedecem, é horrível, por isso, e para mim basta-me, União Europeia, foi um erro colossal, pelo menos para os países pobres como nós e outros que já estão a sofrer na pele o descalabro a que chegou a Europa.

A moeda única, Euro, foi outro grande erro, porque economias fracas não podem aguentar a pressão de uma moeda muito forte, é o fim, é como termos a faca e o queijo na mão e não podermos usar a faca nem comer o queijo, porque temos as mãos atadas, muitos comentadores de assuntos políticos e económicos dizem que estaríamos pior se não estivéssemos na UE e se não tivéssemos aderido ao Euro, eu já não sei bem se fizemos bem ou mal ter entrado para a UE, mas se tivéssemos ficado de fora, podíamos estar agora a ver o comboio a passar, tristes, ou felizes, mais pobres, ou mais ricos. Mas podíamos estar na nossa modesta casinha, a viver com aquilo que tivéssemos, sem grandes euforias e aventuras desastrosas, e livres de um colossal trambolhão, o qual nos vai atirar para o auspício, de pernas partidas, cheios de fome e de cabeça a estourar de tanto doer por causa da grande embrulhada em que nos metemos.

Pois é, o paraíso que nos prometeram, acabou, o mar de rosas que era a UE, secou. A ilusão de grandes benefícios e facilidades de crédito em que os bancos e outras empresas de financiamento, gananciosamente impuseram aos seus clientes, acabou, as facilidades de comprar tudo, e a propaganda de, leve agora e pague depois, acabou, agora até há saldos todo o ano, e quase que oferecem os produtos. Mas será que todos estavam a pensar que estávamos no paraíso? Pois então acordem e vejam bem onde estamos, estamos na terra, onde muitos dizem, e com razão, aqui é que é o Inferno.

Todos sabemos que os problemas que estamos a passar não são só da Europa, mas é na Europa que se está a sentir mais os efeitos desta crise, e também é a actual causadora de que o drama se alastre ainda mais a todo o mundo, se continuar por muito mais tempo este impasse de prováveis incumprimentos de alguns países, mas quanto a mim, isto tudo se deve única e exclusivamente à grande especulação dos mercados bolsistas e a grande corrupção, que continua em grande e até a aumentar em muitos países, e que, como ela está inserida no meio do poder, não é possível combater, e assim pouco ou nada mudará, enquanto o povo continuar a permitir que tudo corra sobre rodas do lado deles, enquanto o mesmo povo vai rastejando para tentar equilibrar uma vida sem futuro.

Todo este problema da crise económica no mundo e em especial na Europa, começou a fazer-se sentir mais a partir dos atentados do 11 de Setembro de 2001 nos Estados Unidos da América, o que era de prever, acontecer um verdadeiro terramoto financeiro, e claro, lançou o pânico, a desconfiança nos mercados mundiais, e os investidores acautelaram-se, mas quem se acautelou mais foram os corruptos e oportunistas, que com medo que o mundo desabasse, com medo de uma nova guerra mundial, ou com as guerras que se seguiriam aos atentados, como aconteceu, e ainda continuam na actualidade, o que parece estar a chegar ao fim, felizmente. Mas, se o terrorismo causou tanta tempestade, podemos ter que enfrentar outra, que pode ser ainda pior e que não se pode combater, é precisamente isso, o tempo, as alterações climáticas ainda poderão ter um terrível contributo para o caos económico mundial, e como é sabido, catástrofes naturais sempre existiram, mas ao que parece, desta vez teve uma mãozinha do homem, e mais uma vez, dos interesses económicos, o enriquecimento rápido e ganancioso, sem pensar nos efeitos que teriam para todo o ecossistema do planeta. Mais um erro colossal, não só da Europa, mas de todo o mundo.