domingo, 19 de fevereiro de 2012

O descanso do guerreiro


O desemprego em Portugal está dramaticamente elevado e não é só o desemprego que está a preocupar, a população está a envelhecer, pois a maioria dos casais, já pensa muitas vezes antes de ter mais que um filho, e para muitos, um já é de mais. Graças aos nossos governantes que estão a causar este dramático envelhecimento da população, o que até parece ser do agrado deles, porque dão a entender que não querem ter cá muita gente, até querem que os desempregados saiam do país! Ora governos que pensam assim, e como não se produz, as pessoas só dão prejuízo, e sendo assim a melhor ideia deles, é pôr tudo daqui para fora. Ainda mais espantoso, é o governo saber que com as medidas de austeridade que está a impor, admitir que o desemprego aumente ainda mais. Mas já fizeram saber que a culpa não é deles, mas sim da troika. Mas então, se estes senhores vêm para aqui ditar leis e impor restrições, que só causam mais desemprego e impede que a economia estabilize, ou cresça. Como é que eles querem que se pague a divida? Já agora, pergunto: Alguém perguntou ao povo se queriam que se pedisse ajuda ao FMI? Alguém explicou quem foi o principal causador desta divida colossal? Alguém se preocupou em saber para onde foi o dinheiro, em que é que foi gasto, e se o investimento contribuiu para o crescimento económico? Alguém pôs travão às empresas de financiamento, a vergonhosa publicidade enganosa de crédito fácil e com todas as vantagens? Pois é, ninguém quis saber. Então porque é que estão a apresentar a factura ao povo? Que pague quem tem que pagar, porque assim é fácil governar e endividar-se, quando são os outros a pagar. 

O pior é que as pessoas já estão a desistir de procurar emprego, estão a desistir de ter esperança, e até estão a desistir de viver, pois chega-se a um ponto que cansa lutar numa guerra que já está perdida, chegou o tempo do descaso do guerreiro.

sábado, 11 de fevereiro de 2012

A essência humana


A natureza permitiu que as condições no planeta Terra surgisse a vida, e dessa proeza apareceu a espécie humana, e como todos os animais na sua evolução, a procriação foi uma constante, pois só assim poderia continuar a sua existência ao longo dos tempos, mas contudo, mesmo a natureza tem os seus erros, e nem tudo é perfeito, os animais, incluindo os seres humanos, nem sempre são perfeitos, seja à nascença ou durante a sua vida, surgem complicações do foro genético, problemas de má formação motora e vários tipos de doenças, e as mais complicadas de resolver e muitas vezes sem solução, são as que atingem o nosso cérebro.

Sabemos que há doenças cerebrais que podem causar certos problemas comportamentais, tais como a homossexualidade, palavrão este que a Organização Mundial de Saúde acabou por retirar do vocabulário científico por motivos discriminatórios, e passou a usar-se a expressão, orientação sexual, deixando de ser considerado uma doença, o que não deixa de ser caricato, pois se antes era considerado uma doença, depois deixa de ser, alguém deve andar louco, é a mesma coisa que dizer a um deficiente mental profundo, que não é louco, apenas tem um pequeno desvio mental. O que é certo é que muita gente ainda considera o problema da homossexualidade uma aberração, porque não entendem que, ser homossexual não é uma opção, mas sim um desvio sexual, ou orientação sexual diferente, e é o cérebro que comanda, e por isso faz destas pessoas o que são, e não o que queriam ou deviam ser, e não pensem que é só nos humanos que isso acontece, também existe este problema nos outros animais, por isso não é uma opção, mas um facto que se deve respeitar e como tal também deve ser respeitado quem tem este problema, o que para muitos já não é um problema, simplesmente assumem, e até com orgulho, embora sejam confrontados com muitas barreiras sociais e incrivelmente discriminados, no que diz respeito a empregos, na carreira militar, e forças de segurança, no entanto, os homossexuais em alguns países já estão a alcançar algumas reivindicações que até agora não lhes era permitido, que é o casamento entre eles, ou seja, pessoas do mesmo sexo, em alguns países já é permitido, com mais ou menos condições ou direitos, enquanto em outros países, o simples facto de se assumir como de outra orientação sexual, é condenável e punido por lei, enfim, como dizia o outro, este mundo não é para todos.

Sobre este assunto, as opiniões dividem-se e claro, há quem seja contra e a favor, se formos corretos, e respeitarmos as leis da natureza, a procriação só devia ser concebida entre sexos diferentes, com casais formados por homem e mulher, embora no caso de união entre duas mulheres é sempre possível a inseminação artificial, mas é pouco ético, e não apropriado para uma criança entender que tem duas mães e não uma mãe e um pai como a maioria das outras crianças, pode até ser traumatizante, depende da aceitação ou não da criança, e não é só convencer a criança, mas sim a sua mente aceitar, porque isso ninguém pode dominar nem alterar. Mais dramático para as crianças é a adoção, por duas pessoas do mesmo sexo, neste caso de homens, pode não estar em causa a capacidade de cuidarem e educarem bem a criança, mas como já referi, depende da aceitação da criança, e neste caso, será muito mais difícil aceitar, mesmo havendo quem diga que eles são tanto ou mais competentes que os outros casais heterossexuais, pode ser muito mais complicado, esperemos que estas hipóteses sejam bem analisadas pelas autoridades competentes, mas o melhor seria não permitir. Mas é apenas uma opinião, lamento se não for aceite ou entendida como tal.  

Outro caso que merece atenção é a mudança de sexo, também dentro do contexto que já referi, não é razoável esta atitude. Porque razão tem um homem passar a ser mulher e uma mulher passar a ser um homem? Segundo dizem eles, num documentário televisivo que tive a oportunidade de ver, eles ou elas, desde crianças que não se sentiam bem no seu corpo, ou seja, achavam que tinham o órgão sexual errado, ora para estas pessoas mais que uma orientação sexual diferente, querem ter o órgão sexual que acham que deviam ter, e sentem-se infelizes, muitos passam mesmo a vida nessa angustia, os que podem fazer a mudança, sentem que realizaram um sonho e conquistaram a felicidade. O problema de desvio sexual pode chegar a este ponto extremo, mas se isso os faz felizes! Todas as pessoas merecem ser felizes.

Sem intenções discriminativas, podemos ser críticos e opinar sem magoar, mas tendo em conta valores éticos, devemos preservar a essência humana e a natureza de forma positiva e logicamente saudável. Como humanos, temos que admitir as diferenças entre nós, porque no fundo somos todos iguais.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Viver e morrer no planeta Terra


Desde que surgiu a vida na Terra, e depois de milhões de anos de evolução, surgiu uma outra espécie de vida muito especial, o ser humano, que teve a particularidade de ser a espécie animal que se distinguiu das outras, por ter desenvolvido inteligência superior, e foi assim durante toda a história da humanidade até hoje e esperemos que continue. 

Mas a evolução que até agora foi considerada positiva, apesar de muitos contratempos e grandes dificuldades para sobreviver e manter a nossa espécie viva, sempre numa luta constante para que as novas gerações progredissem no futuro, até que chegamos a esta nova era, a era que já se pode considerar bastante evoluída ou avançada, socialmente e tecnologicamente, mas que pode não ser aquilo que propriamente estávamos à espera, ou seja, a humanidade chegou a um ponto de estagnação, que pode muito bem ser um ponto de saturação social, onde se começa a sentir um desprezo pela vida, e cada vez mais se nota a desumanização, o que faz as pessoas ficarem mais insensíveis aos valores humanos e sociais, o que nos está a transformar em animais mais parecidos com os outros que nós consideramos irracionais. Não quero com isto dizer que já evoluímos demais, pelo contrário, ainda estamos muito atrasados. O que quero dizer é que podemos estar no ponto de transição para um patamar de evolução ainda mais superior, e será isso que virá a acontecer, só não sabemos como nem quando, e quantas vidas irá custar essa transição. 

É sabido que o mundo está a chegar a um ponto de rotura, no que diz respeito à população, recursos alimentares e energéticos, e com as más politicas praticadas em todo o mundo, os dramas sociais já são visíveis, e isso já são os sintomas de que algo vai ter que mudar, falta saber se vai ser para melhor ou para pior. Como tudo indica que será para pior, é claro que alguém vai pagar caro essa mudança, pois se não for de uma maneira será de outra, ou por tragédias climatéricas ou pelo próprio homem e a sua teimosia e arrogância politica, em continuar a proliferação da guerra, ou as revoltas dos povos, que também já começaram a fazerem-se sentir, porque finalmente os povos começaram a entender que estão a ser tratados como máquinas e não como seres humanos. 

O que é certo é que algo vai ter que acontecer, mesmo que não seja nos tempos mais próximos, se nada de muito mau acontecer que nos leve à extinção total, poderá haver a possibilidade da humanidade passar a porta da outra fase de evolução, e então comece uma nova vida, de concórdia e pensar em todos os males que fizeram e não repetir, embora estas mudanças a serem num espaço de tempo muito curto não surtam efeitos rápidos nas mentalidades, mas podem ser um grande passo para a tal evolução a que eu queria chegar, que essa sim será a evolução de seres mais puros, sensatos, compreensivo, mais humanos, sem conflitos e uma vida socialmente digna e harmoniosa. Um mundo onde todos vivessem felizes, sem fome, sem sofrimento, sem injustiças, sem guerras, que todos partilhassem o amor e a fraternidade entre povos, sem diferenças, que todos simplesmente vivessem em paz e bem-estar. Esse seria o verdadeiro mundo para viver, a verdadeira casa da humanidade, sem portas nem fronteiras, sem muros, sem qualquer tipo de obstáculo que impeça de evoluir livremente e de mentes verdadeiramente brilhantes, em que toda a inteligência fosse aplicada no bem, porque o mal foi coisa do passado. 

Infelizmente a evolução de que estou a pensar, só será possível em centenas, ou até milhares de anos, isto, se antes não houver uma extinção em massa da vida na Terra, provocada pela natureza ou pela nossa própria mão, e diga-se de passagem, estamos a contribuir muito para isso, e as guerras futuras que serão cada vez mais perigosas, falo na possibilidade de ocorrer o que ninguém quer, a guerra nuclear e não só, o que poderia extinguir a vida no planeta total ou parcialmente, mas com poucas hipóteses dos sobreviventes prosseguirem a caminhada da evolução, visto que a contaminação seria por muito tempo, demasiado tempo, o que nem os dispendiosos abrigos para apenas alguns senhores valerá muito a pena, a não ser que fossem robôs, já tive a oportunidade de ver um documentário sobre esses abrigos altamente sofisticados e com todas as condições de sobrevivência por muito tempo, mas ninguém tem a certeza da eficácia, e principalmente a resistência humana, na saúde e nos efeitos psicológicos, porque a realidade é sempre muito mais dolorosa que as suposições. 

Mas o planeta continuará à espera que nova vida surja, e se não acontecer o pior, então as futuras gerações poderão passar a porta que já referi, e quem sabe, atingirem tudo o que nós sempre sonhamos mas que não tivemos a inteligência suficiente para o fazer, porque lá está, demoramos muito tempo a chegar até aqui, mas foi o que nos foi possível fazer. Esperemos que as gerações futuras tenham melhor sorte, e que este sonho se torne realidade. 

Uma evolução sofisticada e que dignifique este mundo chamado Terra, a nossa casa, que pode muito bem não ser o único mundo civilizado e inteligente no universo, outros seres podem já ter atingido um nível de evolução muito avançado e nós sermos apenas mais uma civilização perdida na imensidão do universo.