quinta-feira, 26 de abril de 2012

Fatos e Factos de Gala 2012. Mais uma cena triste



A cena repete-se ano após ano, a igreja do santíssimo parlamento está cheia de cravos e de figurantes de fato de domingo com o respetivo cravo na farpela para enganar os mais distraídos, como se os burros velhos já não saibam o que significa a hipocrisia, a conversa dos discursos é sempre a mesma, fala-se bem e bonito, como se os problemas se resolvessem com palavras, tal como na missa dominical, só porque se foi à missa e ouviu o padre a falar de Deus, o domingo vai correr muito melhor e os pecados ficam perdoados. Mas o pior é que no outro dia, é dia de trabalho, e lá começam os problemas outra vez. Ai como eu vos conheço, é por isso que me dói, pensar que este país e o mundo continuam convencidos, que tudo é uma questão de fé. Pois é, só não sei porque é que tantos padres caem na desgraça do pecado, e os políticos caem em graça, mesmo com os pecados todos.

É uma triste figura, aquela gente toda de fatos de gala e a usarem os cravinhos como se fossem todos revolucionários, quando no fundo andam a dizer mal dos protagonistas do 25 de abril de 74. Tal e qual o beijo de judas! Mas o que é isto? Já não há o mínimo de honestidade, seriedade e respeito por ninguém! E são estes senhores dignos de toda a sabedoria e poder, para governar os demais cidadãos menos cultos, desprezados, humilhados e despidos de preconceitos. E quando estes dizem basta, ou se manifestam indignados, ainda são acusados de arruaceiro, e eles, claro, com medo, dão ordens à polícia para que no dia do povo festejar a liberdade, haja tolerância zero nas manifestações! Infelizmente as manifestações de comemoração do dia da liberdade foram uma vez mais de pouca afluência, mesmo que muita gente diga que não, para mim num dia destes e na situação atual, foi muito fraco, e é triste que haja desinteresse por parte do povo, pois isso é dar um gosto aos políticos que têm pavor destas comemorações.

É triste, quando há neste mundo pessoas como aquele agente da polícia lá do Brasil, que dizia, todo o mundo que coloca nariz de palhaço, é anarquista né! Isto aqui é uma escola! Você acha que escola é um circo? A não ser que queiram dizer que o governo é palhaço! Muito bem Sr. Agente, não diga mais nada.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

sábado, 7 de abril de 2012

Mais uma ideia brilhante

 

Para que não digam que é só criticas e não se apresentam soluções, aqui está mais um pacote de medidas que dá para tapar mais uns buraquinhos.

Tabela salarial de todos os governantes, gerentes de empresas do Estado e empresários privados.

- Para os mais altos cargos do país: 5000 euros mensais e com as mesmas regalias que todos os funcionários públicos tinham antes de serem roubados, ou seja, os direitos que adquiriram depois de conquistada a democracia.

- Para todos os outros, e conforme baixa o nível hierárquico, reduzir substancialmente o valor até ao mínimo de 1000 euros mensais.

- Para os privados, os mais altos cargos, o valor mais alto: 5000 euros e as regalias que o setor privado tinha antes de serem roubados, ou seja, os direitos que adquiriram depois de conquistada a democracia.

 - Para todos os outros, e conforme baixa o nível hierárquico, reduzir substancialmente o valor até ao mínimo de 600 euros mensais, (este seria o salário mínimo nacional obrigatório).

Isto seria possível se realmente estivéssemos num país democrático e com vontade de resolver os problemas que atualmente nos atormenta, estas são medidas justas e duras, mas essenciais, pois seria uma grande solução, e uma grande ideia, mas como está visto, as ideias boas são rejeitadas de imediato. 

Só de pensar que foi rejeitada pelo tribunal constitucional, a ideia de condenar o enriquecimento ilícito! Está tudo dito e não vale a pena estar mais para aqui a martelar neste teclado.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Portugal está no bom caminho


Fiz uma pesquisa no site Agência Financeira, e encontrei estes títulos de más notícias no meio de muitas outras boas, claro, pois este país e o mundo ainda não é um terror financeiro, por enquanto! Mas das boas notícias podemos bem com elas, o pior é haver as más, e enquanto houver as más é porque algo vai mal. Esta minha escolha é para fazer lembrar frases que alguns políticos têm dito na comunicação social, em que fazem questão de afirmar que Portugal está no bom caminho, pois é, mas ao ler estes títulos, ficamos a saber que as coisas ainda não estão a correr tão bem como eles dizem, e aquilo que dizem com otimismo e confiança, pode ser apenas para nos iludir, e para ficarmos à espera da esperança morta. 

 Agência Financeira


- Ulrich: portugueses ainda vão passar muitas dificuldades
Mas já há progressos «muito significativos». Portugal «está no bom caminho»

- Salários penhorados: metade é da Função Pública

- Crise: empresas caem na teia do dinheiro sujo
E aumento dos impostos deve agravar fraude e evasão fiscal

- Emprego: Estado gastou 2 mil milhões em medidas
Nos últimos 12 anos

- Constâncio: podemos precisar de mais ajuda

- Crise: rendimentos encolhem 1% e impostos disparam 10%
Taxa de poupança das famílias cai para 9,7%

- Comércio: menos vendas, empregos e salários mais baixos

- BPN: Governo «vende por 40 milhões o que custou 8 mil milhões»

- IEFP: menos vagas para mais desempregados
Por cada oferta de emprego disponível existem 71 desempregados

- Retificativo: exportações travam a fundo
Governo prevê crescimento de apenas 2,1%

- Governo prevê queda de receitas fiscais este ano
Governo corrige em forte baixa previsões do IVA e espera queda também no ISP e ISV

- «É preciso tomar a sério alertas do BdP»
Economistas preocupados com previsões do Banco de Portugal: CIP e Bastonário rejeitam mais austeridade, mas João Salgueiro admite que ainda «há o risco»

- Banco de Portugal: salários no privado podem cair
Aumento do desemprego pressiona remunerações no privado. BdP avança que economia portuguesa estagna e não cresce em 2013

- Banco de Portugal admite mais austeridade
Pode ser necessário, caso economia continue a degradar-se

- Crescimento das exportações abranda em força este ano
Contexto «de elevada incerteza» pode condicionar «perspetivas de recuperação da economia portuguesa»

- BdP deve rever hoje em baixa previsões para economia
Já no último boletim, Banco de Portugal estimava contração sem precedentes. Cenário deverá ser ainda pior

- Atual legislação é «entrave à criação de emprego»
Ministro da Economia considera que «rigidez» laboral promove o desemprego

- Desemprego: seg. Social pagou mais 17 mil subsídios em fevereiro
De janeiro para fevereiro, número de beneficiários destas prestações aumentou em todos os distritos de Portugal

- Segurança social: quase 300 mil desempregados sem subsídio
No final de fevereiro encontravam-se inscritos nos centros de emprego 648.018 desempregados

- Fatura da luz sobe de três em três meses
Governo agrava preço da luz para facilitar liberalização

- Transporte de mercadorias: mil empresas fecham num ano
Cinco mil pessoas caem no desemprego

- Casais desempregados disparam para número recorde
O número de casais com ambos os cônjuges desempregados disparou 73,2% em fevereiro, em comparação com o mesmo mês de 2011. Atualmente, já estão nesta situação 7.192 casais, o valor mais elevado desde que esta informação é divulgada, isto é, desde outubro de 2010.

- Portugal arrisca multa pesada para contribuintes pagarem
Bruxelas quer que país pague até 4 milhões por desrespeito de decisão judicial sobre telecomunicações. Ou seja, na prática quem paga são os contribuintes

- Desemprego: Norte perdeu 35 mil empregos em 2011
Taxa de desemprego na região atingiu 14,1%

- «Austeridade desequilibra ainda mais as contas públicas»

- «Trabalhadores têm menos direitos do que há 20 anos»
«Enquanto antes aquilo que se colocava aos trabalhadores era melhorar o que tinham, hoje é defender aquilo que têm»

- Todos os dias 253 pessoas caem no desemprego
Número de desempregados inscritos nos centros de emprego aproxima-se dos 650 mil

- Taxas moderadoras: 300 mil isenções por dia

- «Portugal vai pedir novo resgate e arrisca-se a ser segunda Grécia»
Maior fundo de investimento mundial (PIMCO) acredita que Lisboa vai pedir nova ajuda, o que causará «nervosismo» nos mercados

- Eletricidade: preços vão subir nos próximos anos
Preços sobem devido à liberalização

- Portugal poderá precisar de mais 100 mil milhões
Irlanda poderá vir a precisar de mais 80 mil milhões

- Restaurantes: falências disparam 68%
Pelo menos um fecha por dia.