quarta-feira, 10 de abril de 2013

Orgulhosamente só


Olhando para trás no tempo, e 52 anos depois, pensando bem e na atual conjuntura em que se vive hoje em dia neste mundo, é sensato pensarmos que a melhor coisa que fizemos na vida, foi ter optado por ficar só e não deixar rastos da nossa existência no mundo. Já sei que para muitos, que serão a maioria, isto é a maior estupidez que alguém pode dizer! Está bem, pode ser, mas ideias são ideias, e por muito dolorosas que elas possam ser, temos que respeitar, se tivéssemos todos as mesmas ideias, seriamos todos idiotas da pior espécie, ou todos geniais.

No entanto, dizemos que o melhor ensinamento da vida, é precisamente o passar do tempo, aprendemos, amadurecemos, pensamos, escolhemos o que queremos da vida, observamos, ouvimos, refletimos, e concluímos que afinal tudo não passa de uma ilusão. Estar só, pode ser uma opção, mas também uma vingança, por vivermos num mundo que não nos pertence, e como tal também não merece a nossa dádiva de uma herança, deixando as nossas raízes. Por isso, é com a maior das alegrias que digo: Não deixarei vestígios neste mundo, hoje digo que foi a melhor coisa que fiz na minha vida, depois de uma experiencia de vida de sofrimento e desalento, por casamento falhado e único, sem filhos por opção, olho para trás e vejo que o melhor que aconteceu foi ficar orgulhosamente só, porque quanto mais conhecemos as pessoas, menos percebemos o que elas são, somos muito complicados, e por isso quem não quer confusão, não se mete nela.

É triste pensar para onde caminha este mundo, com líderes tresloucados que traçam os nossos destinos como se fossem nossos donos, e nós cordeirinhos hipócritas, seguimos estes diabólicos monstros convictos de seus atos. Também é desolador, ver a selvajaria humana no dia-a-dia, na luta pela sobrevivência, é terrível observar o movimento literalmente louco, brutal e desumano das pessoas nas grandes cidades, a tentarem correr numa hora o que devia durar duas. A dura realidade de trabalharem 30% das pessoas para sustentar as outras 70%, o dinheiro da maioria da riqueza estar na mão de meia dúzia e a miséria a aumentar, não só pela crise que os péssimos políticos criaram, mas também pelo aumento da população mundial, que não terá meios de sustentabilidade para tanta gente, pois num mundo egoísta como o que vivemos, não vai demorar muito tempo que os recursos sejam escaços para a maioria da humanidade, e só os reis herodes serão beneficiados e protegidos.

Claro que este mundo quase sempre teve as suas tormentas, e horrivelmente destruidoras guerras provocadas pela heresia do homem, mas a nossa evolução tem dado passos muito perigosos e cada vez menos promissores de esperança para a humanidade, pois chegamos a um ponto sem retorno, e que pode estar a chegar aos limites do tolerável, o que vemos nos políticos que governam o mundo, dá náuseas até aos mais resistentes estômagos. Com certeza não será estupidez ou loucura para quem está só neste mundo, dizer que é uma felicidade não deixar descendentes, é triste sim, pensarmos no sofrimento que essas pessoas passariam agora e no futuro, que depois iriam pensar: Mas que mal fiz eu para me trazerem para este inferno de loucos, estúpidos, arrogantes e gananciosos, que proclamam a guerra e a miséria, para destruírem seus filhos. Então para que procriastes, homem louco?