quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Drones! Os anjos negros da tecnologia


A invenção já não é muito nova! Primeiro começaram a ser usados pelos militares nos conflitos internacionais, eram os aviõezinhos não tripulados, que passaram a ser chamados de drones com o evoluir da engenhoca. Os primeiros eram para espionagem, (ou reconhecimento do terreno) depois estes aparelhos passaram a ser (e são cada vez mais) usados como armas de guerra, para atingir pontos estratégicos do inimigo, mas também tem servido para matar muitos civis inocentes, que muitas vezes são usados como escudos humanos, para a propaganda de guerra.

Mas agora tornou-se novidade, porque agora chegaram estes brinquedos às mãos de qualquer pessoa que possa desperdiçar algumas centenas de euros, e andar por aí a fazer figura de parvo, sem saber de leis e normas para o uso desta porcaria que vem dar mais uma dor de cabeça e uma carga de trabalhos para as autoridades e também para os utilizadores desta nova lixeira tecnológica.

Não pensem que estes brinquedos só vão servir para transportar pizas ou outros produtos inofensivos, nem só para tirar fotografias do ar, pois até já surgiu outra moda que vai substituir as famosas selfies, são as ´´dronies``, estes brinquedinhos no ar a tirar fotos de nós próprios ou em conjunto com os amiguinhos! Já dizia o outro e muito bem: Não havia necessidade! Mas o pior é que a utilização destes aparelhos pode e vai ser muito dramática ainda! Não sei se já alguém pensou na grande utilidade que vai ter para os terroristas ou seja lá quem for, para praticar o mal, que podem estar a brincar com os seus drones, juntamente com as outras pessoas que estão muito felizes a fazer as suas dronies, mas o que está lá em cima não é uma camarazinha de fotografias, mas sim uma bombinha. Esta semana foi notícia de que andaram drones a sobrevoar a cidade de Paris, e parece que ninguém soube de quem eram nem quem estava a utiliza-los, ou pelo menos não foi possível descobrir de imediato, mas as bombinhas não esperam que se descubra quem é que as está a dirigir para qualquer alvo.

A tecnologia sempre foi usada para o bem e para o mal, mas os maus aproveitam-na muito mais depressa e com grande poder de imaginação, já sabemos que sempre foi assim, mas a tecnologia evoluiu tão rapidamente, que muitas vezes é lançada para o mercado sem qualquer lei formada atempadamente para que seja controlada, e ainda pior, a falta de informação que não é dada atempadamente. Mas claro que isto não chega, porque as leis são para quem são, e não são para todos, é evidente que quem pratica o mal não cumpre regras nem leis, logo, o uso destes meios tecnológicos continuarão a ser descontrolados e nem sempre detetados a tempo de impedir o pior. Mas mesmo as pessoas inofensivas poderão cometer atos ilícitos, por desconhecer normas e leis para o uso desta tecnologia, sobrevoar espaços privados ou mesmo públicos, usar e abusar da privacidade das pessoas, pode vir a ser um tormento e uma grande chatice para todos.

O que é mais detestável é as pessoas saberem do mal que estas tecnologias nos podem provocar, e ainda fazem propaganda, como se fosse uma coisa boa, só porque é giro, para estar sempre atualizado, a vaidade de usar tecnologia avançada, e compram, muitas vezes com sérias dificuldades, mas tem que ser, porque é giro! Até inventam modas para atrair os alienados e tresloucados carneirinhos que seguem qualquer caminho, nem que seja o do abismo.    

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Os lambe botas


Até seria de louvar, se o Joãozinho, o Zezinho ou o Pedrinho merecessem os elogios de terem bom comportamento, de serem cumpridores de seus deveres e exemplares alunos. Mas com mérito próprio, agora à custa dos outros! Isso não! E lamber as botas dos superiores, carrascos e corruptos, não é de bom senso, mas sim um insulto, principalmente para aqueles que sofreram na pele as amarguras, sacrifícios e humilhações, para que tão lindos meninos obedientes brilhem tanto, enquanto outros lutam a dar no nariz para trás desses aterrorizantes gigantes devoradores de pessoas honestas, trabalhadoras, que nada têm e tudo pagam mesmo sem deverem nada a ninguém. Eis que surge um governo de um país minúsculo, muito pobre, a levantar a bandeira de bom aluno, exemplar, e bom pagador mesmo sendo muito pobrezinho. Depois de depenar as galinhas e secar as tetas das vacas magras. Sem hesitar gritam bem alto para que todo o mundo oiça: Senhores! Senhores! Já temos o dinheiro na mão! Podemos pagar adiantado? Ho! Claro que sim, Pedrinho, vocês são o exemplo de que, pôr o povo só a pão e a água, isso resulta, e se nem pão nem água lhes dessem, até já podiam ter parte da dívida paga. Sim meus senhores, nós não somos como aqueles gregos, que puseram no poder um governo que só quer o bem do povo e que agora não querem cumprir com os seus deveres para com os credores que tanto os ajudaram. (Sim ajudaram as ELITES e os anteriores governos corruptos a enriquecerem). 

Só não entendemos uma coisa Pedrinho. Como é possível vocês pagarem adiantado, se os políticos e chefias ganham mais agora que em 2011 e cada vez há mais ricos em Portugal? Sim, é verdade. Mas isso faz parte da nossa boa governação! Optamos por pôr o país no bom caminho! Não mexer muito com os ricos e até beneficiamos os empresários! Mas por outro lado baixamos os salários médios e mínimos e cortamos os benefícios dos pobres! Por exemplo: A maioria dos desempregados já não recebe subsídio de desemprego, e as estatísticas não mentem, cada vez há menos desempregados, (o que não quer dizer que estejam a trabalhar) e os que recebem RSI, (Rendimento Social de Inserção) também são cada vez menos a receber, sinal que a pobreza está a baixar! E isso é verdade Pedrinho? Bom! Pelo menos o governo de Portugal não vê grande pobreza em Portugal! Ah! Ah! Ah! Claro! Pois, nós também não! Vocês estão mesmo no bom caminho!


segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Eu sou grego




Contra a ditadura capitalista. Esta quarta-feira, todas as pessoas do mundo, que trabalham realmente, que têm senso comum e são socialmente humanas, também deviam dizer: Nós somos gregos.

O povo grego tem sido mártir da arrogância capitalista e sem escrúpulos dos seus empresários, gerentes e políticos, a culpa do que está a acontecer na Grécia, em Portugal e na maioria dos países europeus ou todos, e mesmo no mundo, pode-se atribuir a todos os incompetentes que gerem as empresas e governam os países, mas nunca se pode atribuir as culpas a quem trabalha honestamente e que apenas quer viver dignamente num mundo civilizado, inovador e prospero para todos, principalmente para aqueles que querem ter um futuro melhor, ou pelo menos sonharem com isso. Porque estamos a dar muita importância à crise económica, mas estamos a esquecer a maior de todas, que será causadora da nossa extinção, esquecemo-nos que estamos perto da mãe de todas as crises, que será a falta de tudo o que é mais importante para o ser humano, muito mais importante que o dinheiro, a falta das principais fontes de vida, os sinais já são muitos e os avisos também, apesar de ninguém dar muita importância, como sempre, só daremos importância na hora do desastre fatal, as catástrofes naturais agudizadas pelas alterações climáticas vão provocar muita escassez de alimentos e água potável. Lembrem-se do relógio científico, o relógio que os cientistas chamam, o relógio do juízo final, que já foi alterado 18 vezes desde 1947. O relógio é a imagem figurada em que a meia-noite representa o fim, converteu-se num indicador universalmente reconhecido da vulnerabilidade do mundo às ações do homem e ao avanço da tecnologia. Ele já esteve a 17 minutos da meia-noite em 1991, neste momento está apenas a 3 minutos. Este relógio não é um relógio normal, não se move por meios mecânicos ou impulsos elétricos, ele é movido por nós e pela natureza, os cientistas e estudiosos envolventes em tudo o que diz respeito ao nosso mundo em que vivemos, é que decidem se o adiantam ou o atrasam, ele já esteve mais perto da meia-noite que agora, na altura da chamada guerra fria, esteve mesmo prestes a bater as 12 badaladas, em 2012 estava nos 5 minutos, agora estamos a 3. Acham que estamos a caminhar para que os ponteiros recuem, ou avancem?

Por isso eu sou solidário com a Grécia e seu povo, respeite-se a vontade do povo grego, elimine-se todas as dívidas que não foram criadas pelo povo, mas sim pelos interesses pessoais de alguns grupos económicos parasitários, globalistas de património alheio e colecionadores de todo o dinheiro do mundo, toda a riqueza mundial está nas mãos de 1% da população privilegiada, se o dinheiro que há no mundo fosse bem distribuído, não haveria um único pobre, provavelmente não morreria ninguém de fome, a não ser que não houvesse alimentos para comprar, que é um dos problemas que cada vez mais se vai fazer sentir, e este será o derradeiro problema, porque o dinheiro passará a ser lixo, ou só servirá para comprar mais lixo tecnológico, mas não me parece que os humanos gostem de comer tablets, hiphones, ipad, e outras iguarias estaladiças, mas que sabem mal e não têm vitaminas. Se todo o dinheiro do mundo fosse bem distribuído pelos outros restantes 99%, poderíamos ter um mundo 100% mais justo, mais humano, todos poderíamos viver com dignidade, não ricos, mas com dignidade, se o dinheiro fosse bem aplicado em investimentos a favor do planeta, para que se preserve o planeta e não se destrua, como tem acontecido, poderíamos viver mais tempo neste mundo, não tínhamos adiantado tanto o nosso fim.

Por isso sou solidário com a Grécia e aplaudo de pé o seu povo corajoso, mas que muito tem sofrido por causa dos seus governantes e empresários corruptos que tudo tiram ao povo, e ainda dizem que nada têm. Pois não! O dinheiro desapareceu por magia! Só o povo não sabe fazer o milagre da multiplicação do pão.

A solução é eliminar as dívidas, ou obrigar de forma radical os que contraíram tão colossal dívida em proveito próprio a pagar essa dívida que é deles e não do povo. Redistribuir o dinheiro a quem pertence e por quem trabalha, exterminar a corrupção de vez. Empresários e políticos são precisos, sim, mas que sejam sérios e sem qualquer hipótese de corromper ou ser corrompido. Os gregos já deram um grande passo e disseram não aos maus políticos e corruptos, falta saber se é um passo verdadeiro ou falso, pelo menos ainda poderá haver um pouco de esperança, a sorte dos gregos não dita a sorte dos outros países, tanto da Europa como do mundo, mas o que se passa no mundo não é nada animador para todos nós, é caso para dizer que nos vamos ver muito gregos para sair de todas estas crises, faltam 3 minutos para a meia-noite no relógio do fim. Três minutos neste relógio podem demorar anos a passar, como pode demorar um ano, um mês, ou ser já amanhã. E então! Vamos passar estes 3 minutos a falar de dinheiro, ou vamos lutar para nos salvar? 

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Estais a ser enrabados


Esta é a expressão mais ouvida por portugueses que estão no estrangeiro, que já abriram os olhos e veem Portugal por um canudo, mas com muito mais nitidez e objetividade que nós que estamos cá. Lá por fora tudo acontece e tudo se faz para que se mude algo, nem que seja só para incomodar os políticos tradicionais, ou pura e simplesmente limpar a porcaria tradicional e colocar no lugar deles uns malucos quaisquer, com ideias criativas lucidas e sem medo de enfrentar os touros pelos cornos e faze-los enterrar o focinho na areia. Mas por cá, tudo acontece do pior que há contra a dignidade humana e social, e de cabecinha baixa, caladinhos, lá vamos sobrevivendo e batendo palmas pelo massacre, se estamos mal, vamos basculhar os contentores do lixo, há sempre umas bananas podres e embalagens de comida fora de prazo, que os supermercados capitalistas deitam fora, se estamos mesmo mal, vamos dormir para a rua, mas batemos palmas aos nossos políticos, coitados, eles estão a fazer tudo por nós, estão a trabalhar bem, votemos sempre neles, se estamos mal, temos que admitir que nunca pedimos nada nem nunca tivemos nada, mas temos que pagar a dívida dos outros, coitados estavam a viver acima das possibilidades deles, mas nós aplaudimos, ouvimos as noticias de que os donos de alguns bancos, assaltaram os próprios bancos deles, mas isso é normal, nas noticias até dizem que todos nós vamos pagar, mas que chatice de notícia, mudamos de canal ou viramos a pagina do jornal para o desporto, pois não podemos fazer nada contra os senhores importantes, eles podem fazer tudo, mas nós somos pequeninos, temos que calar e aceitar tudo, nem podemos dizer muito mal deles, senão vem o bicho papão e leva-nos presos. Que tristes pelintras somos nós que tudo aceitamos e deixamo-nos enrabar e ainda agradecemos.

Quando ouvimos o nosso primeiro-ministro, ficamos hipnotizados, mas como ele fala bem, parece tudo verdade e cheio de razão, aliás, ele é o dono e senhor de toda a razão, aplausos. O numero dois, disco arranhado sempre a repetir o que já disse ou a elogiar o amigo primeiro, ora pois claro, quem não chora não mama, e que bem que ele mama, aplausos, ele não tem culpa de nada, os outros é que foram os maus. Vá, não chorem, está tudo bem, perto do fim deste ano teremos novo governo, que será o mesmo, ou o substituto do mesmo e tudo continuará lindamente bem. Que povo pacato e sereno! Vem aí mais cortes! Paciência! Tem que ser, coitados, eles têm que pagar a dívida deles! Dois milhões de pobres, ou pobreza extrema em Portugal! Vá lá! Ainda não chegou a metade! Tanta coisa encoberta em Portugal e tanta descoberta, que parece que ninguém vê nem sente. E quem não se sente não é filho de boa gente.