quarta-feira, 5 de agosto de 2015

A verdade da mentira


Este ano tem sido maravilhoso para o governo de Portugal, como eles cantam vitória, a crise é coisa do passado, finalmente, Portugal está em recuperação económica! Cofres cheios, pagamento adiantado de juros da dívida, já quase não há miseráveis, porque são poucos os que recebem RSI, (Rendimento de Inserção Social) abono de família, (porque também nascem poucos bebés) e já pouco pagam de subsídio de desemprego, porque dizem eles todos, sim, todos, porque parece que todos se uniram para nos tramar, todos cantam a uma só voz, (desde o INE, IEFP, comunicação social, e claro, o babado e oportunista governo de Portugal em plena campanha eleitoral, de que o desemprego baixou. Este ano já se ouviu falar várias vezes da baixa do desemprego, deve ser coincidência, por ser ano de eleições tudo é maravilhoso, tudo corre muito bem em Portugal e recomenda-se. Sim senhor! Maravilhoso país de fadas! Bem, ao ritmo que o desemprego tem baixado, provavelmente, lá para o final de setembro, o desemprego já estará em 5%, e até à véspera das eleições ainda poderá cair para 2 ou 3%! Sim senhor, estou encantado! Até já estou a ficar mais otimista! E no dia de votar, se eu pudesse levar aí uns 15 ou 20 boletins de voto, punha a cruzinha em todos os boletins lá no quadradinho deste governo de Portugal.

Só não entendo uma coisa! Todas as notícias apontam para uma baixa do desemprego, mas não se ouve nem se lê as notícias dos empregos criados! Como é possível o desemprego baixar, se ninguém divulga as centenas de milhares de postos de trabalho criados realmente e com dignidade humana! O que se lê e ouve na comunicação social, (não em toda) é que há desempregados a trabalhar de graça, sem direitos e desumanamente, como autênticos escravos. O que se sabe, é que já saíram e continuam a sair do país, muitos milhares de pessoas desesperadas, porque não têm outro remédio senão abandonar o país e as famílias para evitarem de cair na miséria total.

Já alguém imaginou, se cá estivessem todos ainda, onde estaria a percentagem de desemprego? Provavelmente já saíram quase metade da totalidade dos desempregados do país, ora, se dizem que agora está nos 11,9%, se não fosse a debandada geral, estaria agora muito acima dos 20%, mais os falsos empregos criados cá, os abusos dos estágios, e todas as barbaridades que têm feito aos desgraçados que tiveram a infelicidade de ficarem desempregados e ainda são tratados como animais.

Vamos ver até quando é que a festa destes governantes vai durar, destes e seja lá de quem vier, porque quando se lança foguetes antes da festa, as coisas podem correr mal. Vejam o que está a acontecer no mundo! Vejam o êxodo que estamos a presenciar, a invasão que está a acontecer na Europa e não só, a quantidade de humanos desesperados que enfrentam a morte diariamente, ou fogem ou morrem, fogem e morrem na mesma, e os que escapam vão acabar por viver na miséria nos países que os acolherem. Isto dá para ver e pensar que a emigração pode vir a dar grandes problemas aos países que receberam muitos emigrantes, (seja refugiados ou emigrantes que estão a trabalhar) e os portugueses estão lá em grande quantidade a trabalhar. E se um dia as coisas correm mal? Já alguém pensou no retorno em grande escala de portugueses para Portugal? É claro que ninguém pensa nisso, ou fazem por não pensar. Afinal, sonhar é bem melhor que sentir o pesadelo da realidade.